Buscar
  • Equipe Contramarco

STUDIO MAC ENSINA COMO ESCOLHER A JANELA IDEAL PARA OS AMBIENTES

As arquitetas Marina Salomão e Carol Multini reuniram dicas e inspirações para ajudar a não errar no modelo e material de janelas


Reprodução: Fonte: Studio Mac/Assessoria Comunique-se

Contribuir para a entrada de iluminação natural, boa ventilação e não impedir a integração de interior e exterior. As janelas têm um papel fundamental em todos os projetos, influenciando diretamente na saúde e bem-estar de quem mora, além de responder pela personalidade do ambiente.


“Além de sua funcionalidade, a janela interfere na estética dos ambientes e fachada, portanto deve seguir o estilo do projeto”, opina Marina Salomão, que junto de Carol Multini, ambas arquitetas, formam o Studio Mac.


DE OLHO NOS MATERIAIS


Segundo as arquitetas, os materiais utilizados com frequência em janelas são o alumínio, PVC e madeira, e existem três tópicos essenciais para a definição de qual deve ser escolhido. O primeiro trata-se do estilo de projeto. “Alguns materiais como a madeira, por exemplo, conferem uma atmosfera mais rústica, ao passo que os itens de alumínio dão um toque mais moderno”, explica Carol. Também é importante considerar o orçamento da reforma, pois alguns são menos acessíveis do que outros. “Para se ter uma ideia, a madeira tem um orçamento 30% maior do que esquadrias de alumínio”, pontua.


Por fim, é necessário também considerar a necessidade de manutenção de cada material. “Esquadrias de alumínio costumam precisar de pouca manutenção e contam com um valor baixo, mas são mais complexas de instalar”, explica Marina. Elas também são resistentes às ações do sol e chuva. As de PVC também são acessíveis, mas costumam demandar pintura. E as de madeira, por sua vez, são extremamente elegantes, mas pedem por um cuidado maior e manutenção constante.


“É importante lembrar que, quando falamos de apartamentos, as janelas interferem em toda a fachada e devem acompanhar as regras do condomínio”, diz Carol. Agora, para reforma de casas, a liberdade é maior.


O FORMATO IDEAL


Estética e funcionalidade andam juntas quando se fala de janelas, que são definidas de acordo com seu tipo de abertura. A janela veneziana, por exemplo, é normalmente composta por seis folhas e é ideal para ambientes com muita incidência solar ou que se deseje privacidade.


A janela de abrir, por sua vez, funciona de forma semelhante a uma porta comum. “Elas são ótimas para salas e quartos, deixando o ambiente bastante ventilado”, opina Marina. Tendência, as esquadrias de correr podem ser instaladas em diversos tamanhos e ainda são soluções inteligentes para pequenos espaços. Já o modelo basculante é muito visto em cozinhas e banheiros, permitindo uma regulagem da ventilação. “Elas devem ser escolhidas de acordo com o visual desejado, tipo de abertura e funcionalidade no espaço”, acredita Carol.


JANELAS E AMBIENTES


Para salas de estar que não possuem varandas, as arquitetas indicam janelas amplas e que abram totalmente, como as de correr. Assim, garante-se um lar bem iluminado e arejado e ainda se amplia o vão existente. “Gostamos sempre de trabalhar janelas de vidro e com vãos grandes, priorizando a luz natural”, explicam. O mesmo vale para quartos. “Para garantir privacidade e conforto, é importante pensar também em cortinas e persianas”, lembram.


Agora, quando falamos de janelas para banheiros e cozinhas, Carol e Marina indicam o modelo maxim-ar. “Elas são melhores do que as basculante, pois possuem abertura para fora. Isso é perfeito para dias chuvosos, pois permite que se mantenha a janela aberta sem que a água da chuva entre”, diz Marina. Janelas basculantes também são boas opções, garantindo bastante luminosidade. “Não tenha medo de explorar janelas grandes. Elas são ótimas nesses ambientes”, indica Carol.


Para corredores voltados para áreas externas, por sua vez, a dupla indica janelas de correr ou de vidro fixo. “Nesse caso, o modelo deve priorizar a contemplação do espaço externo”.


Fonte: Studio Mac/Assessoria Comunique-se