Buscar
  • anallt

PARA QUE SERVEM OS ENSAIOS EM ESQUADRIAS?


Quando se compra uma porta ou janela, é importante ficar de olho na segurança e qualidade do produto que se vai adquirir. A norma técnica NBR 10821-2 de 2011, da ABNT, determina os requisitos e critérios de aceitação para os testes de desempenho das esquadrias com relação à estanqueidade ao ar, água, esforços de vento e ensaios de manuseio.


Para comprovar que o produto foi bem feito e atende a todos os requisitos, os fabricantes de esquadrias preparam um protótipo que passa por testes em laboratórios acreditados pelo Inmetro.


O frio entra?

No ensaio de estanqueidade ao ar, verifica-se qual o volume de ar que passa pela esquadria através do cálculo da diferença entre a quantidade de ar emitido pela câmara e o que passou para o lado interno da janela. Cálculos matemáticos mostram se o volume de ar que penetrou “no ambiente” se enquadra dentro do gráfico de desempenho mínimo, intermediário ou superior.


A água infiltra?

Aplica-se água com determinada vazão durante 15 minutos e sem aplicação de pressão (simulação do vento). Depois, aplicam-se as pressões de ensaio de forma gradativa, permanecendo 5 minutos em cada pressão, e após cada pressão aplicada, o sistema de pressão é desligado e se mantém o sistema de dispersão de água em funcionamento por um intervalo de 1 minuto, permitindo assim o escoamento da possível água acumulada na esquadria. Nesse ensaio, a vedação da esquadria é avaliada em detalhes.


E a pressão dos ventos?

São colocados deflectômetros — aparelhos que medem a deformação dos perfis das esquadrias em teste específico de pressão positiva e pressão negativa — em pontos estratégicos, nas colunas e travessas, para uma leitura digital. As deformações nos perfis avaliados não podem exceder os limites normativos e não pode haver rompimento de qualquer elemento da esquadria, desde quebra do vidro até o baguete que se desprenda ou o fecho que se solte.



Fonte: Afeal

160 visualizações

Tel: +55 (11) 5539-3200