COMO SABER A HORA DE TROCAR AS ESQUADRIAS?

No início da pandemia, pequenas reformas e reparos nos lares foram feitas pelos proprietários. Em seguida, houve um aumento das reformas mais pesadas, com quebras de paredes e construções de novos ambientes, incluindo investimentos em novas esquadrias, afirma Leonardo Sasazaki, presidente da Sasazaki, fabricante de portas e janelas de aço e alumínio.


Reprodução: Sasazaki/Assessoria Via Pública

Por que trocar as esquadrias?

Muitas vezes, as pessoas não percebem que o causador de um problema identificado em sua residência é a esquadria. Isso pode levar a ações ineficientes e a reformas precipitadas, quando, na verdade, os problemas são provocados pela instalação malfeita ou até pela falta de qualidade da esquadria.

“Por serem itens de acesso diário e que conectam o ambiente interno ao externo, as portas e janelas têm grande responsabilidade sobre problemas paralelos no imóvel, como trincas na parede devido à infiltração de água pela janela, mofo, entrada de vento, insetos e poeira, ruídos e trepidações, alta ou baixa temperatura do ambiente, baixa luminosidade, entre outros”, adverte Leonardo.

Estes problemas, por vezes, causam outros ainda maiores, como alergias, aumento de gastos com energia elétrica e acidentes. Reconhecer quando o problema é da esquadria e realizar a troca da porta ou janela pode representar o fim das noites mal dormidas (por ruídos ou temperaturas indesejáveis), trazer maior segurança física e patrimonial à família e reforçar o cuidado com a saúde de todos que frequentam o ambiente.

Cuidados na escolha

Como esquadrias são itens de grande impacto para o aumento da vida útil do imóvel, alguns cuidados são importantes na hora de escolher o modelo. Além da adequação à região e ao clima, deve-se prestar atenção à facilidade de limpeza e manutenção do produto, e se ele favorece a economia de energia ao potencializar entrada de luz e ventilação cruzada.