top of page

ALUGUEL EM SÃO PAULO TEM MAIOR VALORIZAÇÃO NO TRIMESTRE DESDE 2020, APONTA ÍNDICE QUINTOANDAR

Embora os preços estejam mais altos, crescimento da diferença entre preços do anúncio e do contrato fechado mostra que há abertura para negociação


Divulgação: QuintoAndar

O mercado imobiliário de locação em São Paulo registrou, pela primeira vez desde 2020, uma alta no terceiro trimestre, o que reforça a retomada definitiva do mercado após as oscilações do período da pandemia e sua recuperação. Os dados são do Índice QuintoAndar de Aluguel. Em comparação com o segundo trimestre do ano, o preço dos aluguéis subiu 2% entre os meses de julho e setembro, alta de 16% em relação ao mesmo período em 2021.


Até então, segundo o indicador, o desempenho no terceiro trimestre era marcado por quedas no preço dos imóveis. Em 2020, ano em que a pandemia impactou mais a economia, a queda registrada foi de 5,2% em comparação ao segundo trimestre daquele ano. Em 2021, quando o mercado já começava a esboçar recuperação, houve uma certa estabilização dos preços, com ligeira queda de 1,1% em comparação com abril, maio e junho daquele ano.


Os números reforçam, ainda, o cenário de aquecimento do mercado imobiliário na capital. Em 12 meses, o valor médio do m² subiu 16,9%. Somente neste ano, o preço médio dos novos aluguéis subiu 12,2%.


Em setembro, o preço médio do aluguel na capital paulista atingiu R$41,01 por m², no 13º mês consecutivo de alta. É o maior valor do m² da série histórica do indicador, iniciada em 2019. Também é o período mais longo de altas consecutivas.


Segundo Thiago Reis, gerente de dados do QuintoAndar, o aumento dos preços em geral tem se refletido no mercado imobiliário, num momento de aquecimento da demanda. Imóveis localizados em regiões com acesso fácil ao transporte público e próximas de onde há mais ofertas de emprego têm feito com que o indicador cresça nos últimos meses.


Em setembro, em comparação com agosto, houve valorização dos apartamentos de um (1,5%) e dois quartos (1,%) e três quartos (1%).


“Os números indicam um crescimento constante e disseminado entre os vários tipos de imóveis na cidade, principalmente nos imóveis de um quarto, com alta considerável”, destaca Thiago Reis, gerente de dados do QuintoAndar.


ESPAÇO PARA NEGOCIAÇÃO


Apesar do aumento dos preços no momento de assinar o contrato, os consumidores ainda têm encontrado espaço para negociação. Dados do Índice QuintoAndar mostram que a diferença entre o preço do anúncio e do contrato cresceu pelo quarto mês consecutivo, atingindo diferença de 10,1%.


“Isso significa que os preços dos anúncios seguem subindo, diante da expectativa positiva do mercado, mas que o valor efetivamente pago não tem registrado um movimento da mesma magnitude. Ou seja, ainda há espaço para barganhar e conseguir o melhor preço”, reforça Reis.


COMPROMETIMENTO DE RENDA


O estudo inédito “O mercado residencial na América Latina”, feito pelo QuintoAndar, aponta que os moradores da capital paulista gastam 31% da renda familiar com o aluguel. O valor está bem próximo dos 30%, considerado limite recomendado por especialistas.


Segundo Reis, uma forma de economizar é começar o processo de busca de imóveis com antecedência. Um estudo recente feito com dados de negociações concretizadas no QuintoAndar revela que o desconto médio em imóveis alugados após quatro semanas é 30%, maior que aquele concedido para imóveis similares alugados nas primeiras duas semanas, e 75% maior que o desconto das unidades com contrato fechado em menos de sete dias.


BAIRROS + VALORIZADOS NO TRIMESTRE

  1. Água Fria - 19,6%

  2. Vila Nova Conceição - 17,4%

  3. Jaguaré - 15,8%

  4. Real Parque - 12,4%

  5. Higienópolis - 11,7%

  6. Jardim Marajoara - 11,7%

  7. Vila Formosa - 11,5%

  8. Vila Carrão - 11,0%

  9. Morumbi - 10,7%

  10. Vila Madalena - 8,9%


Fonte: QuintoAndar

Comentários


V&S Blog.jpg

 Receba notícias atualizadas no seu WhatsApp gratuitamente. 

bottom of page