REVISÃO DA NORMA NBR 15575-2020

A atualização traz referências para que os edifícios se tornem mais eficientes



A norma NBR 15575 foi revisada e ganhou um novo método proposto pelo Laboratório de Eficiência Energética em Edificações vinculado ao Núcleo de Pesquisa em Construção do Departamento de Engenharia Civil da Universidade Federal de Santa Catarina (LabEEE), sob a coordenação do professor Roberto Lamberts. Segundo ele, as mudanças deverão orientar as avalições para que os edifícios possam ser construídos com níveis ainda mais avançados de desempenho térmico.


Segundo William Medeiros, gerente de marketing e comercial da Sto Brasil, que faz parte de um grupo com atuação internacional e trabalha com sistemas de revestimentos com isolamento térmico (EIFS) para fachadas, paredes e acabamentos para a indústria da construção, apesar desta atualização da NBR 15575, não houve uma melhora considerável no critério de desempenho.


"A norma estabelece padrões muito baixos para uma habitação atingir temperaturas internas perto da zona de conforto estatística (entre 18ºC e 24ºC )", afirma o colaborador. "Agradecemos o empenho dos envolvidos, valorizamos o tempo e as ideias estabelecidas, mas é necessário também considerar os imóveis já ocupados e que não oferecem nem mesmo os níveis mínimos de conforto", completa Medeiros destacando que hoje há no mercado alternativas para trazer economia de energia e conforto térmico verdadeiro, em qualquer época do ano e que poderiam ser contemplados nesta alteração.


Segundo o novo método proposto, a avaliação do desempenho térmico passará a ser realizada por meio de dois procedimentos: o simplificado (Parte 4 - Requisitos para os sistemas de vedações internas e externas - SVVIE e Parte 5 - Requisitos para os sistemas de coberturas) ou de simulação computacional (Parte 1 - Requisitos Gerais), que permite avaliações para a obtenção de todos os níveis de desempenho (mínimo, intermediário e superior).


Agora, diante da necessidade de um melhor planejamento energético e da c