top of page

PISOS DE VIDRO SÃO SEGUROS? SAIBA COMO APLICAR ESTA SOLUÇÃO


Ponte Bach Long (White Dragon), a mais longa do mundo, fica no Vietnã/Divulgação

Os pisos de vidro agregam sofisticação e modernidade ao projeto e podem ser aplicados na integração de pavimentos e degraus, pontes, conexão de áreas internas e externas, decks e piscinas, coberturas transitáveis e mezaninos.


Pisos de vidro são seguros? Há pessoas que acreditam que o piso de vidro não é uma opção tão segura ou durável, quando comparado a outros tipos de materiais. Não são todos os modelos de vidro que podem ser utilizados no piso, por isso, é necessário seguir as normas técnicas vigentes.


O Brasil não possui uma norma técnica que oriente sobre a aplicação do material. A NBR 7199 - Projeto, execução e aplicações de vidro na construção civil – indica que somente vidros laminados ou laminado temperado, além de uma camada intermediária estrutural podem ser empregados nestes tipos de projeto, por serem mais resistentes e terem grande capacidade de carga. A NBR 6123 – Forças devidas ao vento em edificações – Procedimento; e NBR 7210 – Vidros na construção civil – Terminologia também devem ser consultadas.


Divulgação: Blue Glass

É recomendado ainda que o modelo utilize interlayers (camadas intermediárias) estruturais de PVB (Pulivinil Butiral), que proporciona adesão entre os vidros e, principalmente, mantém os fragmentos grudados em caso de quebra, evitando assim o desmoronamento da superfície.


No momento da instalação, além de contar com profissionais especializados, uma recomendação é que se observe a carga máxima, dimensão das peças e a quantidade de apoios que serão necessários, temperatura na qual o piso será submetido, tamanho e apoio dos degraus (em caso de escadas), acessos de emergência, entre outros pontos. Em pontes, geralmente a composição é mais trabalhada, seja com mais vidros ou outros materiais.


Em áreas abertas, a sugestão é que a superfície externa do laminado receba revestimento antiderrapante, visando maior conforto dos pedestres, especialmente em circunstâncias de piso úmido. A utilização de calços de borracha na lateral e no fundo de apoio também é importante, pois evita o contato direto entre as placas e os materiais rígidos. Esse acessório geralmente precisa ter uma espessura maior do que a do vidro utilizado na estrutura.


Mirante de vidro em Bangkok, capital da Tailândia/Reprodução R7

RECOMENDAÇÕES PARA CADA APLICAÇÃO


Reprodução: Blue Glass

Quando o piso de vidro está presente na integração entre dois andares, causa a sensação de amplitude do ambiente. Além de servir como teto para o primeiro pavimento, serve como piso para o segundo, trazendo um ganho em luminosidade e modernidade. Outra opção é utilizar as placas de vidro como divisórias de ambientes que, quando combinadas com portas de vidro, proporcionam amplitude ainda maior.


Áreas externas também podem aplicar a solução, tornando decks e fundos de piscinas com aspecto mais clean. No caso de mezaninos e transitáveis, locais com pé direito duplo podem explorar essa tendência, gerando uma construção de aspecto leve e sem a sensação de rebaixamento do teto.


ESTÉTICA


Para um impacto visual mais marcante, alguns projetos utilizam vidros coloridos, como os serigrafados. O vidro impresso laminado também é uma boa opção, pois tem uma textura antiderrapante e propriedades que deixam menos expostos os riscos e arranhões, que inevitavelmente surgem com o passar do tempo. Contudo, o vidro transparente ainda é o mais utilizado.


Fontes: Divinal Vidros e Blue Glass

Comentarios


V&S Blog.jpg

 Receba notícias atualizadas no seu WhatsApp gratuitamente. 

bottom of page