top of page

CAMPUS DO COLÉGIO PEQUENO PRÍNCIPE, PROJETADO PELO GOAA, É MARCADO PELA INTEGRAÇÃO DOS EDIFÍCIOS


Reprodução: Gusmão Otero Arquitetos Associados/Assessoria Cobogó Relações Públicas

O mais novo campus do Colégio Pequeno Príncipe, em Ribeirão Preto, interior de São Paulo, foi pensado pelo Gusmão Otero Arquitetos Associados (GOAA). A proposta visou proporcionar um espaço de fácil locomoção e diálogo entre setores.


Os 200 mil m² foram ocupados com o princípio de criar edifícios abertos e permeáveis. O conjunto também se adaptou ao declive na direção Oeste, para máximo de proveito da geografia do terreno e minimização dos movimentos de terra.


A planta conta com quatro blocos, três divididos entre cada ciclo escolar e um destinado a atividades coletivas. A estrutura foi erguida à base de concreto armado e vigas moldadas in loco e as lajes pré-fabricadas. Os galpões e coberturas metálicas têm estrutura de aço. O conjunto das áreas compartilhadas ainda conta com pista de atletismo, quadra a céu aberto e quadra de areia.


Soluções de acabamento, proteção solar e estrutura, que foram adaptados a situações específicas, são revistos em cada bloco, e dispositivos de proteção solar e ventilação, como brises, estão presentes nos edifícios.


O campus dialoga com a natureza ao seu redor, desde o paisagismo até a geração de energia. As áreas verdes se baseiam em grama rasteira e árvores, proporcionando um espaço sombreado. Já os painéis, que captam energia solar, correspondem a 50% do total energético usado na escola. No futuro, planeja-se colocar placas o suficiente para que cubra a demanda de energia integralmente.


Reprodução: Gusmão Otero Arquitetos Associados/Assessoria Cobogó Relações Públicas


Fonte: Gusmão Otero Arquitetos Associados/Assessoria Cobogó Relações Públicas

V&S Blog.jpg

 Receba notícias atualizadas no seu WhatsApp gratuitamente. 

bottom of page