• Equipe Contramarco

ANIVERSÁRIO DE 60 ANOS DE BRASÍLIA

No início era o barro Mar de poeira

Ondas douradas O desafio da criação Da transformação Da edificação (...)


(...) O imaginável se torna real Brasília surgiu bela, imponente Dona absoluta do espaço Um oásis cravado dentro do cerrado (...)

- Elisa Mattos

Nós voltamos o nosso olhar para o local todos os dias, principalmente quando o assunto é política. Hoje, no aniversário de 60 anos de Brasília - DF, a “capital da esperança”, como foi apelidada, será homenageada por poemas como este de Elisa Mattos.


UM POUCO DE HISTÓRIA


No dia 21 de abril de 1960, o então presidente Juscelino Kubitscheck anunciava a inauguração da cidade, antes mesmo da conclusão das obras. O plano piloto foi projetado pelos renomados arquitetos Lúcio Costa e Oscar Niemeyer, e erguido em apenas quatro anos. A cerimônia representava o marco de que o Brasil estava pronto para a modernidade, mudando a sede do governo do Rio de Janeiro para Brasília.


À direita: Populares no dia da inauguração de Brasília/ Reprodução: Zona Curva e à esquerda: construção dos ministérios/ Reprodução: Aventuras na História


O presidente teve a iniciativa, pois queria povoar a região central do país e ao mesmo tempo prevenir possíveis ataques marítimos.


Calcula-se que as obras na cidade tenham atraído cerca de 60 mil operários vindos de todo o Brasil. Esses trabalhadores ficaram conhecidos como “candangos”. Para abrigá-los foram construídos barracões com estruturas mínimas de comodidade.


O PROJETO


Kubitscheck selecionou o projeto urbanístico de Lúcio Costa, arquiteto e urbanista, pela simplicidade. A ideia partiu do traçado de dois eixos cruzando-se em ângulo reto, como o sinal da cruz.


No projeto, o Eixo Rodoviário tinha o traço levemente inclinado, o que dava à cruz a forma de um avião. Ele seria a via que leva às áreas residenciais – hoje, Asa Sul e Asa Norte. A outra linha, que representava o Eixo Monumental abrigaria os prédios públicos e o palácio do Governo Federal no lado leste; a Rodoviária e a Torre de TV no centro, e os prédios do governo local no lado oeste.


Projeto arquitetônico de Lúcio Costa/Reprodução: G1

Juscelino escolheu Oscar Niemeyer como o arquiteto responsável pela construção dos monumentos. Ele foi autor das principais estruturas da cidade: o Congresso Nacional, os Palácios da Alvorada e do Planalto, o Supremo Tribunal Federal e a Catedral de Brasília.


Além da dupla Oscar e Lúcio, completavam o time que fez desta cidade um museu a céu aberto figuras como Burle Marx, com jardins e praças, e Athos Bulcão, com os painéis de azulejos que são marca registrada da capital.


DIA DA INAUGURAÇÃO E SEU SIGNIFICADO


A data escolhida coincide com a da morte de Tiradentes, um dos líderes mineiros que defendeu a independência do Brasil no século XVIII. O simbolismo ajudou a fortalecer em Brasília o ideal de liberdade de um povo e a coragem de uma nação, associando a inauguração à ideia de independência e rendendo homenagem aos inconfidentes que haviam sonhado com um Brasil livre.


PATRIMÔNIO CULTURAL


Pela beleza e importância arquitetônica Brasília recebeu em 1987 o título de Patrimônio Cultural da Humanidade, concedido pela Unesco. A região está no mesmo patamar de importância das Pirâmides do Egito, da Grande Muralha da China, dentre outros marcos da arquitetura.


Imagens gerais de Brasília: Congresso Nacional, Palácio do Planalto, visão aérea da cidade, Catedral de Brasília e foto aérea dos ministérios e da Ponte Juscelino Kubitscheck


Fontes: G1, Toda a Matéria e Governo do Distrito Federeal


Fotos: Zona Curva, Aventuras na História, Eu ando pelo mundo, Blog Blue Sol, SOS Brasília, Metrópoles e Agoda

0 visualização

Tel: +55 (11) 5539-3200