Edição nº156 jul/ago 2022

ENTREVISTA: APOIO AO CRESCIMENTO DO MERCADO VIDREIRO NO RIO GRANDE DO SUL 

4 - Entrevista - a.jpg

CONTRAMARCO — O Sindicato das Indústrias de Vidros, Cristais, Espelhos, Cerâmica de Louça e Porcelana no Estado do Rio Grande do Sul (Sindividros-RS) foi inaugurado em 1941 e é um dos primeiros sindicatos organizados no Rio Grande do Sul. Filiado à Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS) desde sua fundação, é espectador e protagonista de mais de 80 anos de história da indústria vidreira gaúcha. Descreva, em linhas gerais, a trajetória do Sindicato até o momento atual.
 
RAFAEL G. A. RIBEIRO — O Sindividros-RS foi fundado na época em que havia raros beneficiadores de vidros, geralmente vidraçarias que realizavam acabamentos com “pedras e lixas”. Após esse período inicial até o momento, ocorreu uma enorme transformação. Com a abertura do mercado para a livre importação nos anos 1990, as vidraçarias mais desenvolvidas se transformaram em indústrias. Atualmente, o Rio Grande do Sul possui um parque industrial vidreiro comparável aos mais desenvolvidos países do mundo, fabricando produtos para os segmentos da construção civil, linha branca, mercado moveleiro, mercado automotivo (reposição), e outras diversas aplicações industriais do produto. Além do segmento vidreiro, o sindicato possui associados do segmento de lentes de contato e instrumentos de saúde. A entidade manteve-se ativa em todos esses anos, acompanhando o desenvolvimento do mercado, assumindo protagonismo nacional e apoiando o crescimento de seus associados. 

CONTRAMARCO — Fale um pouco sobre o “Programa Qualividros”, objetivos, exemplos de atividades já realizadas/previstas e focos de atuação. E também de outras iniciativas do Sindividros-RS.

RAFAEL G. A. RIBEIRO — O Programa Qualividros propõe capacitações a partir de quatro focos: Indústria, Vidraceiro, Especificador e Acadêmico. Promove qualificações direcionadas desde a indústria até a cadeia comercial, habilitando em áreas que vão de estratégias de vendas e atendimento ao cliente até o campo mais operacional e técnico. Mais do que orientações, o Qualividros proporciona experiências inovadoras, como missões empresariais a feiras do setor e visitas técnicas. Nos últimos anos, o programa tem atingido um bom índice de atuação junto aos profissionais especificadores, os quais definem os produtos corretos para as mais variadas aplicações. 

CONTRAMARCO — Comente sobre a cadeia produtiva do vidro plano no Brasil e perspectivas de mercado, especialmente no Rio Grande do Sul.

RAFAEL G. A. RIBEIRO — O Brasil possui uma cadeia produtiva vidreira muito robusta. Temos a presença dos maiores grupos multinacionais de fabricação de vidro float, um inovador grupo nacional também fabricante do produto-base, atacadistas que atingem praticamente todo o território do país, inúmeros processadores com altíssima capacidade de transformar praticamente qualquer produto final existente no mundo e uma vasta rede de comerciantes em todos os estados da federação.


Após o período de pandemia, em que o mercado demandou um volume adicional de produtos de aplicação em reformas, experimentamos um primeiro semestre de queda de consumo. Segmentos como o de linha branca e moveleiro tiveram uma significativa retração. Penso que para o segundo semestre do ano devemos agir com cautela: os indicadores de juros e de inflação causam preocupação, e a realização de eleições e da Copa do Mundo de futebol tiram o foco dos governantes e de parte da população do que realmente interessa: o desenvolvimento do país. 

Publicidade:
WhatsApp-Video-2022-02-11-at-17.52.12.gif
 
4 - Entrevista - b.jpg

CONTRAMARCO — Programada para setembro de 2022, no pavilhão São Paulo Expo, a 14ª Feira Internacional da Indústria de Esquadrias (FESQUA) conta com o apoio do Sindividros-RS, ao lado de outras entidades de classe e órgãos setoriais. Em sua opinião, qual a importância da FESQUA para a indústria da construção civil, que tem o vidro como elemento fundamental da arquitetura contemporânea?

RAFAEL G. A. RIBEIRO — A FESQUA é o evento bienal de participação indispensável para os profissionais da construção civil. A indústria de esquadrias é um tradicional consumidor e parceiro do segmento vidreiro, e na FESQUA podemos observar as mais modernas aplicações de sistemas de fechamentos de vãos.

Atualmente as edificações possuem cada vez mais “vãos livres” de alvenaria, que são preenchidos com os sistemas de fechamento e esquadrias. E é na FESQUA que podemos observar a melhores soluções disponíveis no mercado. 

twitter.png
Leia a matéria na íntegra na Edição nº156 jul/ago 2022 - solicite seu exemplar
 Acesse a edição digital - conteúdo exclusivo para assinante