Edição nº127 set/out 2017

ENTREVISTA: Orides Zacarias França, diretor-presidente Mayo Aluminio y Accesorios S.A. 
Com foco no Paraguai
Orides Zacarias França, diretor-presidente da Mayo Aluminio y Accesorios S.A., com sede em Assunção, capital do Paraguai
 

Contramarco — Relembre, em linhas gerais, quando e como surgiu seu interesse pessoal em atuar no mercado do Paraguai e realizar negócios em um país que faz fronteira com o Brasil, mas que ainda é relativamente pouco conhecido pela maioria dos brasileiros fora da esfera turística e do roteiro de compras de produtos de uso pessoal, por exemplo. 

Orides Zacarias França — A palavra relembrar encaixou bem na pergunta e com muita saudade. Não veio de mim a ideia de trabalhar no Paraguai! Uma empresa do país contratou uma serralheria em Curitiba (PR) para uma obra na então Ciudad Puerto Presidente Stroessner (hoje Ciudad Del Este), no ano de 1981. Aí, eu fui nomeado para fazer o trabalho. Estando ali, as coisas começaram a acontecer e apareceram ofertas de novos trabalhos. Eu fui entrando pouco a pouco, até mesmo porque trabalhava como empreiteiro! Falei com a empresa de Curitiba referente à possibilidade de ficar trabalhando no Paraguai e que se tivessem algum compromisso de obra no Brasil, podiam contar comigo que eu voltaria para isso, mas avisei que eu estava decidido a enfrentar o desafio. Fui liberado pela empresa e até hoje continuo no segmento com alumínio. Trabalhei por muito tempo na fronteira fazendo caixilhos em geral com uma empresa paraguaia que financiou as máquinas e o estoque para o início! Foi bastante bem o negócio. Na época, só tinha serralheria em Foz do Iguaçu (PR) e, por ser local, eu tinha a preferência. Pouco tempo depois já se escutava falar da serralheria da cidade, particularmente porque fazia o serviço completo, com colocação do vidro na obra. Antes não se misturavam esquadrias e vidros. 

Contramarco — Vamos relembrar um pouco mais. Antes de se estabelecer no país vizinho, sabemos que o senhor já atuava no mercado de esquadrias e vidro no Brasil. Conte um pouco sobre sua experiência profissional anterior.

Orides Zacarias França — Antes de ir para o Paraguai, eu trabalhava no setor com colocação de esquadrias em obra, mas antes ainda, com 15 anos de idade, comecei dentro de serralherias. Estive durante dois anos no mundo dos serralheiros e tive excelentes mestres. Ganhei minha independência aprendendo o ofício. Daí fui transferido para obras como instalador. Com 18 anos, eu já trabalhava como empreiteiro nas obras e só voltei a fazer esquadrias no Paraguai. 

Contramarco — No seu entender, descreva como está atualmente o mercado da construção civil no Paraguai e perspectivas, especialmente no segmento de esquadrias e fachadas.

Orides Zacarias França — A construção civil no Paraguai está passando por um bom momento, mesmo com investimentos bem menores em relação aos dos últimos três anos. O mercado vem mantendo um nível razoável de ocupação das indústrias de esquadrias. No que se refere ao segmento, enfrentamos o problema da importação de esquadrias prontas de alumínio e pvc, com os vidros instalados procedentes principalmente da China, fato que diminuiu grandemente as possibilidades de desenvolvimento da indústria local, já que a mesma possui uma capacidade de produção suficiente para cobrir a demanda tanto em esquadrias como em vidros processados. Paralelamente a essa importação também se dá a contratação de instaladores e técnicos estrangeiros, sem cumprir com as leis de imigração e trabalhistas do país, gerando uma concorrência desleal. As perspectivas para os próximos anos são boas, existindo projetos de grandes investimentos, considerando-se também o crescimento da construção no setor residencial. 

Publicidade:
 

Tel: +55 (11) 5539-3200